A árvore das Ideias

video

A árvore das ideias

Visita-jogo na Fundação Calouste Gulbenkian


O 1º e 2º ano da Eb1 do Painho realizaram uma visita jogo intitulada "A árvore das Ideias" .

A visita teve como objetivos:
Trabalhar o olhar e as capacidades de análise, descrição e organização. Estimular o  envolvimento com as obras da coleção, em particular, e com as obras de arte em geral,  partindo da simbologia de um elemento referencial e do seu quotidiano como  a árvore.

Conceitos
Simbologia da árvore e dos seus respetivos componentes. Como símbolo a árvore  representa a vida, o crescimento, a transformação, os ciclos, a criação e implica a  possibilidade de renovação, inclusive através da reciclagem. As raízes representam o  nosso alimento e as nossas fundações.





A partir de algumas analogias entre a estrutura de uma árvore (raízes, troncos, ramos, frutos) e um museu, sua coleção e suas obras, lançam-se perguntas como quem semeia curiosidades: O que são ideias? De onde vêm? Como se enraízam? Que frutos dão? Como se ramificam? Como se encontram nas obras de arte? Como dialogam umas com as outras? Como nos estimulam o olhar e o pensamento?
 Nesta visita, os alunos partiram à descoberta das obras da coleção do CAM e das possíveis relações que entre elas se podem estabelecer. Trabalham em pequenos grupos, num processo ativo de investigação e reflexão partilhada. São incentivados percursos diferentes consoante os grupos e as obras a conhecer, sendo as conclusões também sempre muito diversificadas em função da participação e da criatividade de cada um.

Os elementos de cada grupo fazem então uma análise da obra e o levantamento do maior número de ideias que surjam ao estarem perante ela.  A seguir, cada grupo apresenta aos restantes a obra escolhida e faz a  sua leitura.


Cartas ao Pai Natal


Quem acredita no Pai Natal?

Acreditando ou não, todos escreveram a sua carta !

Aqui estão elas e vão directamente para a Lapónia. 

Festa de Natal 2012

Ola Reguilas!
A nossa Festa de Natal teve lugar na Associação do Painho. A festa decorreu com a alegria possível e contou com a participação de todos os alunos do JI e da Eb1 do Painho, das professoras titulares, dos professores das AEC, da educadora e das assistentes operacionais. Contou ainda com a participação das mães que nos presentearam com uma canção e um delicioso lanche convívio. 
Os alunos da Eb1 e do JI do Painho estão de parabéns, assim como todos os que contribuíram para a realização desta bonita festa.
Aqui ficam algumas fotos dos reguilas!





video
video
video

Árvore de Natal

Os alunos da EB1 de Painho construiram uma trabalhosa e bela árvore de Natal, utilizando caixas de ovos.
Todos os alunos participaram com empenho. Depois de se pintarem bastantes caixas de ovos foi a vez de se montar a árvore.
E pronto, aqui está ela!


A nossa árvore de Natal foi para a exposição organizada pela C.M.C.

Trabalhos de grupo de Estudo do Meio

Os alunos do 4ºano da turma 22 da EB1 de Painho aceitaram com entusiasmo o desafio feito pela sua professora para elaborarem e posteriormente apresentarem à turma trabalhos de grupo sobre a matéria dada em Estudo do Meio. A execução e apresentação dos trabalhos sucedeu durante as aulas de Apoio ao Estudo (4 aulas). O pretendido com este tipo de trabalho é que os alunos desde já se habituem a formar grupos escolhendo os elementos que os constituem e os temas a abordar, organizar/distribuir tarefas entre si, colaborar nas tarefas, realizar e apresentar/expor trabalhos de grupo.








Foi bom verificar que, sem intervenção da professora, souberam formar os grupos sem discussões e sem discriminações. O resultado foi surpreendente, pois os alunos mostraram empenho e gosto na realização dos trabalhos, tiveram de pesquisar o que facilitou a aprendizagem dos temas tratados e os trabalhos em si espelham tudo isso. Após a execução dos trabalhos, os alunos apresentaram-nos à turma.                     Aqui está o resultado!

Dia do Não Fumador

No dia 16 de novembro os alunos da EB1 de Painho, turma 22 (3º e 4º ano) realizaram alguns trabalhos sobre o Dia do Não Fumador: ficha de situações problemáticas, escrita de frases sobre os perigos do tabaco, ilustração sobre o tema.
Trabalharam, primeiro a Matemática, utilizando a régua e o compasso para desenharem o sinal de proibição (desenharam duas circunferências, uma com 9cm de diâmetro e outra com 8cm e traçaram duas rectas paralelas com 1cm de distância entre si), seguidamente a Expressão Plástica ao desenharem o cigarro e pintarem o trabalho, a Língua Portuguesa ao escreverem o tema no trabalho e frases sobre o tema e por fim a Educação para a Cidadania/Estudo do Meio ao dialogarem sobre os perigos do consumo de tabaco e hábitos de vida saudável.
Depois os trabalhos foram expostos na sala de aulas.



As nossas árvores de Natal

O Projeto Alfa da Porto Editora forneceu às escolas do nosso Agrupamento estas belas árvores para serem ilustradas/decoradas.
As nossas árvores de Natal!
Na turma do 1º e 2º ano cada aluno fez o seu pai Natal, depois foram coloridos e recortados. Com todos eles montámos esta linda árvore. Gostam?


Os alunos da turma do 3º e 4º ano também decoraram a sua árvore de Natal. Para tal só utilizaram material reutilizável: revistas, jornais, pacotes de café e cápsulas de café. A ideia surgiu dos próprios alunos e todos eles participaram, com gosto.



Eis o resultado final!

PNL- "A Girafa que comia estrelas"

Olá Reguilas!

Hoje a nossa professora leu-nos uma história. E nós fizemos uma ficha de trabalho , um desenho e o resumo colectivo.

Título: "A girafa que comia estrelas"

Autor: José Eduardo Agualusa

Ilustrador: Joaquim Cayatte


Resumo
"A girafa que comia estrelas"

A história fala-nos de uma girafa com cinco anos, muito alta, que andava sempre com a cabeça nas nuvens. Esta girafa procurava a avó no céu. Enquanto isso comia estrelas. Certo dia, conheceu uma galinha do mato chamada Dona Margarida que vivia numa nuvem e tornaram-se amigas. Um dia, as nuvens desapareceram e deixou de chover na savana. Olímpia foi à procura de Dona Margarida, quando a encontrou contou-lhe que já havia muitos dias que não chovia na savana e os animais não tinham o que comer e estavam a morrer. A Dona Margarida pensou que podiam soprar nuvens até à savana. Sopraram uma centena de nuvens, mas não chovia. Então Dona Margarida arrancou uma pena do seu corpo e colocou-a no nariz da girafa Olímpia. Esta espirrou e começou a chover.